18 de mai de 2011

Fresta, furo, vão de muro.

Qualquer traço,
linha,
ponto de fuga
Um buraco de agulha ou de telha
Onde chova.

Qualquer - Arnaldo Antunes

15 de mai de 2011

Nascer é um partir

Nascemos sem saber o que esperar do mundo, num grande desespero banhado a sangue e líquido amniótico. O susto do primeiro contato marca nosso corpo com graça, força e um gosto sutil, quase invisível, de pássaro quando voa. Crescemos e partimos por céus resplandecentes buscando orientação e razões que expliquem não estar nem dentro e nem fora da ignorância do nosso caminho em direção ao amor do outro. Vivemos na insuficiência. Temos sede de futuro. Somos tardes caindo. Nascemos todos os dias, num longo parto de esperança e solidão.


11 de mai de 2011

Varanear


Varandas sempre me atraíram. É de onde a cidade se desenha, mostra nuances, cicatrizes, possibilidades, luzes e destinos. Exibe novas portas, antigas lembranças, fins de avenidas.
Nos devolve a lucidez, tão maltratada pelo dia-a-dia. Nos devolve a compreensão das irremediáveis manhãs. E de tanto acreditar, nos devolve a parte do nosso mundo que nos faz fortes e felizes.